Museu Alberto Sampaio | Guimarães Cool
Entrar | Registar

visitar > museus e galerias

Museu Alberto Sampaio

Um orgulho para Guimarães.

Fundado em 1928 por Alfredo Guimarães, o Museu Alberto Sampaio alberga obras que retratam não só a história de Guimarães, mas também a história de Portugal (desde a época medieval até ao período renascentista). O próprio edifício, onde hoje encontramos o museu, faz também parte da histórica da cidade-berço: a sua construção remonta ao século X, altura em que a condessa Mumadona Dias mandou construir este mosteiro.

Ao longo de três espaços - o Claustro, a Casa do Priorado, onde se encontra a exposição permanente, e a Casa do Cabido - o museu impressiona por tudo aquilo que alberga. Entre extraordinárias obras de pintura, escultura e ourivesaria, que não deixam ninguém indiferente, aqui encontramos peças que pertenciam à Igreja de Nossa Senhora da Oliveira e à Igreja de S. Francisco. São obras de grande relevo patrimonial, muitas delas com mais de 300 anos!

Na sala da ourivesaria, encontramos uma das coleções mais valiosas de que há registo em Portugal, com detalhes que nos fazem perguntar como seria possível, há tantos anos, serem produzidas estas peças estonteantes com tanto pormenor.

Relativamente à coleção que representa uma das batalhas mais difíceis da nossa história, a de Aljubarrota, em 1385, encontramos sobretudo pinturas que representam esse confronto entre portugueses e castelhanos. Numa dessas pinturas, datadas do século XVII, figura o Rei D. João I - que se encontrava em Guimarães quando soube da grande batalha que teria que travar - a pedir a Santa Maria da Oliveira proteção antes da guerra. Porém, o que mais cativa a atenção de quem visita esta área do Museu Alberto Sampaio é a obra que será, muito provavelmente, a mais importante de todas as que existem no museu: trata-se da veste militar - o loudel - que o próprio D. João I envergou para travar a batalha de Aljubarrota e que ofereceu à Igreja de Nossa Senhora da Oliveira para agradecer a proteção concedida.

Continuando a visita, deparamo-nos com esculturas e frescos - que foram encontrados por acaso, escondidos por trás de outras pinturas enquanto estas eram removidas para serem restauradas -, que representam sobretudo acontecimentos religiosos. O Museu Alberto Sampaio é, realmente, um espaço com muito para descobrir e muitos segredos por desvendar.

Quando visitar Guimarães, não deixe de visitar este museu, que tem muito para nos contar sobre a História da cidade (e do país).

Dica Cool: O claustro é de uma beleza singular, e o órgão da Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, que por vezes ouvimos, torna esta experiência ainda mais especial - faça a visita com calma e aprecie o som deste instrumento musical.